Por Maria Inês Campos

Vivo a observar as ações e reações de pessoas no dia-a-dia.

Passei longo tempo buscando explicações para situações que me eram difíceis de aceitar e, portanto, geravam muita dor, depois passei a buscar como eu poderia solucionar essas situações para não sofrer, demorei muitos anos para perceber que eu só podia modificar e transformar a mim mesma.

Sei que essa constatação soa como filosofia de bolso, auto ajuda, ou qualquer coisa do tipo, mas é bom pensar sobre isso, é bom lembrar que os grandes mestres da humanidade não vieram trazer à tona conhecimentos sofisticados, vieram colocar para o mundo que é na simplicidade das ações, na pureza da verdade que seremos felizes, lembra?

A cultura oriental traz uma ferramenta de auto-conhecimento muito interessante para se aplicar nas questões pertencentes ao MEDO, o taoismo. “Taoismo (ou daoismo) é uma tradição filosófica e religiosa originária da China que enfatiza a vida em harmonia com o Tao (romanizado atualmente como “Dao”). O termo Tao significa “caminho”, “via” ou “princípio”, e também pode ser encontrado em outras filosofias e religiões chinesas. ”

O simbolo do Tao nos leva a refletir sobre o equilíbrio das emoções, um bom exemplo é o do gato acuado; imagine que você esteja em um canto de quintal e tenha um gatinho lindinho. ande em direção ao bichinho encurralando-o, qual será a reação do gato?

Fugir ou agredir, certo?

É isso o que fazemos quando estamos acuados, fugimos ou agredimos.

O que nos acua, na maioria das vezes, é o medo. Medo de olhar para nós mesmos e nos ver  sem disfarces, medo do que poderá acontecer nessa ou naquela situação, medo de não sermos aceitos, medo de sermos descobertos. Medo é uma situação de encurralamento.

Só sentimos medo daquilo que não conhecemos, que presumimos que será ruim, então, assim sendo, uma boa sugestão para desvanecer o medo é olhar de frente tudo e todos. Olhar de frente não é a coisa mais fácil que eu conheço, é muito complicado…

Já ouviu falar Jung e seu conceito de “sombra”?

Não? Pois é, esse tal de Jung foi o cara que formalizou uma verdade que era bem disfarçadinha, segundo ele “sombra” é um conceito que designa a soma dos lados rejeitados da realidade que a criatura (nós mesmos) não quer admitir ou ver em si mesma, permanecendo escondidinha no profundeza da intimidade.

Você já soltou frases como: modéstia à parte, inveja branca, fulana é isso, ou aquilo no sentido de denegrir alguém… ou outras parecidas?

Essas frases podem ser fruto da sua “sombra” e é bom você prestar atenção porque é sinal que ela nem está tão escondida assim. Até porque as coisas ignoradas geram mais medo que as conhecidas.

Quando recusamos aceitar a diversidade de emoções e sentimentos  que trazemos no nosso mundo interior criamos uma situação de acuo, onde a raiva, a mágoa, a inveja, o desejo e outras emoções, convencionalmente inadequadas, passam a ser escondidas de nossa própria capacidade de analise e compreensão. Tudo o que não é conhecido, não compreendido pode gerar medo. Se não percebemos que a nossa estrutura humana é carregada de dualidade (tao), frieza/sensualidade, avareza/desperdício, egoísmo/desinteresse, lassidão/impetuosidade, fica muito difícil iniciar o processo de autoconhecimento que nos libertará do medo.

O medo nasce da nossa ignorância de sentir, temos medo quando não enfrentamos as nossas emoções de frente, quando buscamos preocupações infundadas para mascarar o que não queremos ver de perto.

Conheço pessoas que tem medo de morrer, ou de perder alguém, não aquele medinho natural, mas um medo incontrolável que faz perder noites de sono, que provoca dor antes da hora.  Outras  perdem longas horas do seu dia em imaginar o que pode acontecer de ruim, como se fizessem previsões de desgraças, umas acontecem outras não, mas basta uma previsão dar certo para que eles passem a aumentar o número de horas disponíveis para alimentar o pessimismo e consequentemente sentir medo. Esse sentir medo, vai devagar se instalando e se fazendo necessário, como a justificar a existência dessa criatura e cresce…cresce… vira depressão, pânico, síndrome.

Bom, em resumo, o melhor mesmo é não ter medo de sentir medo. Conheça o seu medo e conhecendo-o saberá como se livrar dele. Lembre-se que a única coisa que você pode dominar é você mesmo, e o mundo , o universo, o ser humano vão seguir cada um a sua rota, traçada por um Ser Superior, ou na pior das hipóteses, cada um traça o seu destino, você não é o Senhor do Mundo, então deixe a vida fluir e aproveite  o seu hoje e deixe o amanhã para amanhã.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: