Por Maria Inês Campos

Aqui estou com mil questionamentos na cabeça.

Acabo de  defrontar com uma situação de inflexibilidade e resistência e fiquei pensando sobre o fato e me perguntando se é uma situação de incompetência ou de inadequação.

Quando sou contratada deixo claro que os problemas ou conflitos serão resolvidos ao longo de um tempo pré-estabelecido e que o contratante tem que necessariamente estar disposto a passar por uma bateria de questionamentos internos, por vezes dolorosos, já que o mergulho interior pode colocar em evidência emoções  ou valores que levamos anos a fio escondendo de nós mesmos.

O coach tem a função de andar junto, conduzir o seu cliente nesse mergulho tendo por objetivo o que o cliente determinou por meta.

O coach não determina a meta, ele pergunta qual é a meta que o cliente quer alcançar. Na maioria dos casos a meta passa por uma reavaliação, já que nesse mergulho interior é comum que o indivíduo se redescubra e retome caminhos temporariamente abandonados em virtude de alguns obstáculos.

Viver é uma luta.

Luta pela sobrevivência física, emocional e espiritual e toda luta tem o período de treino e como lutadores que somos elegemos qual é a melhor maneira de treinar, né?

Pois bem, comecemos exatamente por esse ponto: O TREINO.

Algumas pessoas, a maioria, escolhe treinar fazendo uso de um sparring (um lutador que é usado para aprimorar as técnicas de lutador principal, em resumo um cara para sofrer os golpes)

Tem pessoas que viciaram-se em olhar tudo e todos de uma maneira muito ampla, observando o que está errado em cada um (como se errado e certo fossem fundamentos incondicionais e imutáveis , sic), como deveriam agir, o que seria o ideal na postura do outro….

E assim por diante, e isso não seria algo tão crucial se essa maneira de enxergar o outro  não trouxesse ao dono de olhinhos tão perspicazes uma onda de irritação imensa, fazendo do seu cotidiano um lamentar-se improfícuo, estérial que não tenha outra função que não seja a de lhe fazer infeliz e irritadiço.

A redundância nunca foi recurso que desse resultado positivo, é mais oportuno sermos objetivos, não só na nossa fala mas, e principalmente, no nosso jeito de pensar. Em geral remoemos palavras ditas, fatos ocorridos, choro contido, sorriso perdido e qualquer coisa que JÁ TENHA ACONTECIDO. O que já passou deve ter a nossa atenção para ser interpretado como instrumento de aprendizagem. Repetir o mesmo pensamento várias e diversas  vezes (rsrsrsrsrs) só vai gerar desgaste e a maldita da irritação. Você já pensou sobre isso?

Sei que você pode estar contra argumentando com a colocação que você não consegue dominar o seu pensar, e se você consegui dizer isso, mesmo que seja só em pensamento, pode admitir que você NÃO PENSA,apenas se deixa levar pelo instinto.

Quem pensa, pensa com o SEU cérebro, com a SUA emoção e com o SEU conhecimento, portanto, o pensamento é SEU e se você não controla o SEU próprio pensamento, vai controlar o que????

Arre que essa estória de pensar é muito complicada, não é?

Voltemos ao TREINO da nossa luta de viver.

Digamos que você escolheu o sparring para efetuar os seus treino e diante disso é bom pensar que (lá vem a estória do pensamento de novo!!!!):

– a nossa mãe é nossa primeira e voluntária sparring

– com o correr do tempo vamos saltando de sparring para sparring por pura acomodação. Transferimos da mãe para a primeira pessoa que tiver mais próxima de nós ( companheiro(a), filhos, chefes..)

– e por último, cabe considerar que o sparring, na luta de boxe é contratado para isso, recebe salário e aceita a função por livre escolha, o que não é exatamente o que acontece com nossos sparrings, certo?

Existe um outro recurso para treinarmos a luta da vida, caso você já tenha desistido de ter um sparring, o que é muito sensato por sinal, é o SACO DE PANCADA. Bom, né?

Todo lutador deve ter um, cada um escolhe o modelo que melhor lhe atender;

– tem o faxinas club, adequado ao sexo feminino por gastar a nossa energia e consequentemente anula a irritação por cansaço;

– tem ainda esporte esporádico, esse tem mais aceitação tanto no setor masculino como no feminino e traz os mesmos benefícios do faxinas club

– tem o pernas pro ar, com livro ou sem livro, com música ou sem música, adaptável a qualquer lutador.

Enfim são muitas as possibilidades de você adquirir o seu saco de pancada, a única coisa que você deve atentar é que Deus, aquele velho e bom amigo, também está querendo que TODOS ACERTEM E SEJAM PERFEITOS e isso já faz um longo tempo e ainda não tivemos notícias  que Ele esteja irritado, certo?

Deve ser porque irritação é um mal desnecessário.

Anúncios

Comentários em: "SPARRING OU SACO DE PANCADA?" (2)

  1. antonio sammartino disse:

    Puxa vida, sparring não tem um bom lugar nem no mundo do boxe e nem em outras metáforas. Mas deveria ter. Um bom sparring filtra as emoções e não reage a altura de quem está “treinando nele”. Porque na maioria das vezes, se reagisse…

    Curtir

  2. Concordo com vc Antonio, é injusto que não saibamos valorizar um sparring, e olha que no boxe ele ainda é remunerado!!!!!! Foi por essa razão que sugeri outras formas de “treinarmos” o auto-controle.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: