Por Maria Inês Campos

Hoje pensei em contar uma estorinha.

Acho que estou um pouco nostálgica, com saudades dos meus aluninhos de ensino fundamental.

O mundo adulto tem lá suas estórias…. mas como transito nos dois e exerço a função de professora percebo uma certa facilidade nas crianças, uma disponibilidade grande em conhecer coisas novas, uma flexibilidade  flexível (desculpe a redundância) que está sempre pronta à dobrar-se diante da proposta de inovar ou aceitar a verdade do outro.

Isso não significa adotar a verdade do outro, mas perceber que a VERDADE é relativa, depende do momento, das circunstâncias e do amadurecimento de cada um.

Fique atento quando alguém lhe diz que não abre mão de suas verdades, talvez ele não tenha percebido que elas, as verdades,  abriram mão dele a medida que mudou o pano de fundo de sua própria vivência.

Voltemos ao início. Vamos à estória:

O que você acha da estória dos três porquinhos?

Vou contar do meu jeito, tá?

Era uma vez três porquinhos, irmãos, que tinham o nome de João Alegria,  Anthenor Bom Ânimo e Crisaldo Persistência, sempre unidos e muito espertos certo dia resolveram que definiriam uma meta para destinar seu tempo e sua vida.

Pensaram daqui, pensaram dali….. e depois de um bom tempo resolveram que a meta era ter uma casa.

Isso!!!! Uma casa para poder se proteger dos ataques do Lobo Difícil do Impossível da Silva, Lobo Didi para os íntimos.

O Sr. Lobo Didi era um caso sério na vida dos porquinhos, insistia em armar arapucas para pegar os três irmãozinhos.

Uma hora era o Sr. Lobo Didi colocando na comida do João Alegria um pozinho chamado “falta de fé” e aí…. Pronto. João Alegria já não era mais o mesmo, acabrunhava, fechava o focinho e se punha a olhar as estrelas  sem perceber o quanto era bonito o brilho ora prateado, ora dourado enfeitando aquele pedaço de veludo azul noite que formava o céu.

Outra hora o malvado Didi preparava na surdina um” repelente de esperança” e espalhava no matinho que Anthenor gostava de tirar um cochilo.

Era só Anthenorzinho se deitar, logo depois do almoço, que acordava quase desmilinguido, cantava sem ritmo, andava lentamente e quase não falava. Achava tudo sem graça e que nada valia a pena, nem mesmo correr sobre a lama que formava no terreiro após as chuvas da tarde no verão.

Dava pena de ver um porquinho tão lindinho assim, sem esperança nenhuma, nenhuma.

Agora maldade, maldade mesmo esse Lobo Didi aprontava com o Crisaldo Persistência.

Ah! isso sim era malvadeza das brabas….

Ele colocava uma porção de pedrinhas, cercadas por espinhos de roseira, no caminho que Crisaldo fazia toda manhã para comprar pão e leite que ele preparava para seus irmãozinhos bem cedinho.

Pode ser ruim desse jeito?

Essa não é uma trapaça das grandes?

Diante de tanta atrapalhação imposta pelo tal do lobo mau os porquinhos resolveram que a META daquele momento da vida deles seria construir uma casa.

Digo daquele momento porque acho um pouco de burrice traçar uma meta de vida inteira se a verdade é relativa e pode mudar porque mudamos, já que somos seres em plena evolução, você não acha?

Pergunto muito. Pergunto mais que conto a estória… sou muito conversadeira! Essa minha mania pode lhe render uma coisa boa. Sabe qual é? Dá a você um folego no meio de tanta falação para pensar sobre o que está lendo.

Então como eu ia contando….. a meta dos três porquinhos era ter uma casa e lá foram eles para a construção.

Compraram um terreno, fizeram a planta e partiram para construir o alicerce.

Puseram a”mão na massa”. E foi exatamente na hora de por “a mão na massa” que começou a discussão.

Ichiiiiiiiiii, esqueci de contar para você que na nossa estória tem uma discussão entre a EQUIPE dos porquinhos.

Tudo começou quando só um porquinho foi para a “frente de batalha”, se é que você me entende, um foi e os outros dois ficaram dizendo que  eles queriam alcançar a meta, mas sabe como é, eles precisavam supervisionar a obra e o Crisaldo tinha mais jeito para construir e eles seriam o apoio para Crisaldinho Persistência, que nessa altura do campeonato já pensava em mudar o nome para Crisaldo Tôphora.

Crisaldo desceu da escada e falou:

– Escuta aqui, meus nobres e amados irmãozinhos, enquanto vocês ficam na supervisão da obra o Lobo Didi fica na espreita, vocês não acham que deveriam participar para que a nossa casa (meta) seja construída logo?

E continuou a deitar falação:

– Uma meta, digo, casa tem que ser construída tijolo a tijolo. Nós temos que abrir mão de outras coisas para ter disponibilidade para alcançar a meta, digo,para construir a casa, se a gente não se reprogramar, não se readequar a todo momento poderemos abrir uma brecha e o Sr. Lobo Difícil do Impossível da Silva armar uma arapuca para nós. É isso que vocês querem?

Os dois folgadinhos se entreolharam com uma cara de “nunca tinha pensado nisso” e responderam em uníssono:

– Naummmmmmmmmmmmm!!!!! ( não gritado.. rsrsrs)

E assim os porquinhos se juntaram  e deram cabo da tarefa de construir a casa, ou alcançar a meta não sei bem sobre o que mesmo estávamos falando se era de casa ou de meta. Epa! me confundi de novo!

Bom, o certo é que a casa ficou pronta e o Lobo Didi não conseguiu espalhar a falta de fé, a desesperança e nem a dificuldade intransponível. Deixou de atormentar os três porquinhos e saiu correndo, esbaforido, a procura de uma pessoinha vulnerável para ser pega nas suas armadilhas. Tomara que ele não pegue você.

Moral da estória: Para alcançar a meta que você se propôs é preciso nunca perder a fé em si mesmo, fé no outro, manter a esperança sempre muito viva e persistir. Se caso você precisar de um ajudante de pedreiro, pode me procurar.

Anúncios

Comentários em: "É BOM NÃO ESQUECER……" (2)

  1. Marcia Arruda disse:

    A forma envolvente que a estória nos leva a reconsiderar atitudes e metas é a sua marca registrada.
    Obrigada pelo incentivo à superação e a persistência.
    Continue nos ensinando com sua estórias de construção de casas ….ou seriam metas?

    Curtir

  2. Essa estória hoje me fez refletir que não devo desistir, ser persistente, o fardo é pesado mas tenho certeza que minha fé é maior. Vc é especial… Adoreiiii e um grande beijo!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: