Por Maria Inês Campos

Era uma vez quatro amigos…….
Os quatro amigos viviam em um reino encantado, governado por uma porção de gente, já que o Rei estava sobrecarregado de trabalho pois acumulava muitos reinos aqui e acolá e não achava, nem com vela acesa, alguém que se dispusse a sair da posição cômoda de súdito e passasse a ser rei naquele reino, e só naquele reino as pessoas tinham a esquisita mania de reclamar, reclamar e nada fazer. Diziam sempre que alguma coisa desse errado era porque era a vontade do Rei.Aproximava-se do reino a data de uma festa muito importante, tudo parava para que a festa fosse bem preparada. Nessa ocasião o Rei decretava que todos fossem livres e felizes.

Na verdade verdadeira esse decreto era só de mentirinha, pois o Rei sempre ordenou que todos fossem livres e felizes, mas o súditos como já disse eram um pouco esquisitos e se atrapalhavam muito para cumprir essa ordem. Talvez com essa mania de culpar o rei por tudo o que desse errado eles dificultavam para si mesmos o cumprimento da ordem. Coisas de reino encantado, se é que vocês me entendem….. Chegou o grande dia! O povo estava animado, a música e a dança estava em todo canto. As ruas estavam enfeitadas e o Rei apesar de preocupado com o que aquele povo estranho pudesse fazer para ser feliz, aguardava em seu palácio o início do carnaval. O Rei não participava do Carnaval, mas divertia-se muito com a escolha das fantasias feita por cada habitante do seu reino. Ria que se esbaldava observando como eles conseguiam fazer tanta confusão com uma coisa tão simples que é ser livre e feliz. Pareciam uma ninhada de gatinhos brincando com novelos de lã.

É aí que começa a estória dos quatro amigos. Nesse cenário e com um Rei com essas características. Relaxe seu corpo em uma posição confortável, respire fundo e deixe-se levar por esse conto docemente, como nos bons e velhos tempos da sua infância… Talvez você não acredite, mas vai descobrir alguns segredos com essa leitura, para isso precisa sentir-se livre. Exercite.

Dos quatro amigos um negava-se a participar da festa, achava demasiadamente profana, descabida e até sem graça. Sendo assim Omissão Perene da Silva, o nome do tal amigo, preferia se colocar à margem dos acontecimentos e esperar o Carnaval passar. João Melancolia Carvalho, lembrou-se do quanto os carnavais passados foram bons e o quanto já tinha vivido essa festa. Pensou que pensou e escolheu uma fantasia lindíssima de Pierrot. Já o Antonio Deixapralá Oliveira, todo animado, querendo ser feliz sem fazer muito esforço e sem muito compromisso optou por uma fantasia de palhaço que faria pegando umas coisas aqui e outras ali e dessa maneira ficaria muito engraçada e divertida. José Sonhador Pereira, filho do Sr Objetivo e de Dona Meta, sempre se supera a cada carnaval, inova, quebra a cabeça, e surpreende. Nesse carnaval não seria diferente, pensou muito e decidiu-se pela fantasia de Rei. E saíram os três em busca do material para tranformar sua fantasia idealizada em fantasia materializada.

Chegou a hora marcada para o ínicio da festa: João, meticuloso e detalhista perdia muito tempo em elaborar o planejamento de sua fantasia, tanto foi pra lá e pracá perdido em dúvidas e questionando se faria assim e assado que perdeu a hora e chegou só para o fim da festa. Antonio rápidinho confeccionou a sua. Só que de tão rápido, mal começou a festa a sua roupa tão colorida e tão alegre começou a desfazer-se, levando o pobre coitado do Antonio a ir embora muito cedo.

José tinha se esmerado na confecção do seu traje de rei. Brigou com os lojistas na busca do melhor material a um bom preço, foi e voltou inúmeras vezes ao alfaiate para provas e mais provas de roupa. Quase desistia.  Desentendia-se  com seu pai e sua mãe porque diziam os pais de José que ele ficaria tão lindo com a fantasia de rei que valeria a pena tanto esforço e José cansado, com vontade de chorar, respirava fundo (como você fez agora rsrsrs) e recomeçava. Foi muito estressante a elaboração dessa fantasia…. ah e como foi!!!!

Tanto fez José que indo para a festa do Carnaval desse Reino Encantado foi recebendo pelas ruas inúmeros elogios. Foram tantos,mas foram tantos que ele começou a sentir-se como um Rei. Falava como um rei, respirava como um rei, cumprimentava como um rei…..

O Rei real e Todo Poderoso que a tudo assistia e muito se divertia, vendo nossos amigos (só os três porque o Omissão ele não fez questão nenhuma de ver) teve uma grande idéia. Pensou: ” Já que José está tão bem nessa fantasia e incorporou esse personagem com tamanha perfeição vou contratá-lo para ser o meu representante nesse reino. Ficarei mais descansado e ele será melhor aproveitado!”

Moral da estória: Escolher um sonho, lutar por ele acreditando ser possível faz toda e única diferença relevante para que ele se torne realidade.

E você já escolheu a sua fantasia para essa festa que é a VIDA??

Tem um Rei Todo Poderoso olhando,  querendo que você seja livre e feliz.

Um amigo sugeriu como tema Acreditar em si mesmo, achei que esse conto seja oportuno, e de uma maneira lúdica, faça com que possamos rever valores.

Anúncios

Comentários em: "Um carnaval e três personagens" (9)

  1. ERCI MARTINELLI disse:

    … é, realmente o querer, a luta, a fé e a persistência são as nossas grandes vias rumo ao sucesssooo!!!
    Parabéns, pela escolha do texto! É mto lindo!

    Curtir

  2. o brigado disse:

    É realmente lindo o texto e realmente falou comigo obrigado vc nem imagina o quanto me estimulou esta história.
    O brigado por tudo
    Beijos e fique com Deus.

    Curtir

  3. Ana Luiza Pires disse:

    Esse texto mostra o quanto temos o poder da felicidade em nossas mãos, mas muitas vezes escolhemos um caminho mais difícil. O importante realmente são as lições que aprendemos com isso …
    Mas a felicidade é algo que nasce dentro de cada um … basta conseguir olhar pra dentro e permitir que ela floresça!
    LINDO TEXTO! Parabéns!
    Beijos com carinho

    Curtir

  4. Lindo texto!
    Beijos.

    Curtir

  5. OI Meurinha!
    Eu acho qeu trafego de um para o outro em 5 minutos..kkkkkk
    BJus e parabéns!

    Paulinha

    Curtir

  6. Cris disse:

    Maria Inês, vc como sempre é coisa divina, sabe como escrever as palavras e tocar no coração de quem quer ouvir e sentir o que está lendo….estou com muita saudade da senhora…. beijossssssss

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: