Por Maria Inês Campos

Estamos vivendo uma fase de valorização da motivação, das metas, da visão, da missão e de tantos outros termos de ordem ( e de modismos).

Existem pessoas que se propõem a serem nossos orientadores ou capacitadores para que possamos alcançar a felicidade através do sucesso.
Liderança, gestão, foco competência, habilidade são palavras que antes eram restritas ao ambiente de trabalho e agora passam a serem usadas na vida cotidiana do indivíduo. Elas trazem uma série de implicações, que fora de um contexto harmônico, onde o conhecimento neurológico, psicológico e filosófico se unem para dar embasamento, ficam sem sentido fazendo parte de uma retórica boba e desconexa.

Sai do nada e não vai a lugar nenhum.

Tenho percebido, através de minha atuação como coach, que há uma descontinuidade na aplicação das técnicas que envolvem foco,  estratégia e motivação (aqui propositadamente não aplico  o termo coaching por razões que tratarei em outra postagem).

As pessoas estão habituando-se a sintetizarem o conhecimento: usam frases de efeito, pinçadas, e outras tantas pessoas repetem a frase como se fosse verdade indestrutível ou até mesmo algo parecido como a descoberta da pólvora.

O conhecimento passado de indivíduo para indivíduo está perdendo braços importantes como: – reflexão, aprendizagem e pesquisa. Tudo fica meio parecido com café solúvel. Pessoalmente gosto da praticidade, mas ainda acho delicioso e incomparável o café de coador. O perfume exalando, a espera por acabar de coar, enfim toda a poesia circunstancial que envolve o processo de “passar um café”.

Vamos deixar o café de lado e foquemos na questão do conhecimento aplicado.

Em se tratando de foco, estratégia e motivação, os discursos, em sua maioria, são pontuais, restritos e muitas vezes sem amarrações importantes para que passe a ser ensinamento.

Apreender consiste, basicamente, em tomar conhecimento, refletir incorporando o conhecimento e elaborar uma mudança de atitude. Conhecimento que não provoca uma mudança de atitude é só conhecimento. Quando ocorre uma mudança de atitude passa a ser aprendizado.

Agora eu lhe pergunto, caro leitor, do que serve o conhecimento sem aprendizagem????

A minha proposta para hoje é motivar você a mastigar, mastigar e mastigar o conhecimento que lhe cair nas mãos e verificar onde, quando e como você vai aplica-lo na sua vida, na sua ação, no seu novo jeito de ver alguma coisa.

É fácil???

Não, não é.

Se fosse eu não estaria aqui convidando e instigando, não é vero??

Anúncios

Comentários em: "Vamos? Vamos. Pra onde mesmo???" (1)

  1. ERCI MARTINELLI disse:

    Parabéns…. e obrigada pela injeção eletrônica….!!!! bjs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: